Home / Caixa Econômica / Caixa assedia por metas e constrange bancários com ranking

Caixa assedia por metas e constrange bancários com ranking

Na Caixa, agora, é normal a prática de assédio com exposição de listas com ranking para constranger os empregados que não atingem as metas, cujos resultados devem atingir milhões de reais. Os dirigentes enviam mensagens de trabalho ou referente as metas fora do horário de expediente pelo whatsapp

Segundo denúncias, dirigentes da Caixa Econômica Federal estão praticando assédio com exposição de listas com ranking para constranger os empregados, que não atingem as metas de milhões de reais. Os dirigentes enviam mensagens de trabalho ou referente as metas fora do horário de expediente pelo whatsapp.

O governo federal pretende privatizar a Caixa e o Banco do Brasil, as medidas já estão sendo tomadas por Bolsonaro, Guedes e Pedro Guimarães (presidente da Caixa), que participou dos processos de privatização do Banespa, Banerj e Banestado. Iniciaram os ataques com o fim do aporte aos planos de saúde, redução de agências e regionais, PDVs, falta de funcionários, acúmulo de funções, abertura aos sábados, jornada estendida e a tal da reestruturação que precariza o ambiente de trabalho.

“Por conta disso, fizemos uma ação, dia 4/9, no Dia Nacional de Luta e Reflexão contra o desmonte da Caixa, Entregamos carta aberta, dia 11/9, contra o desmonte do Saúde Caixa e estamos convocando todos os bancários da Caixa a ficarem atentos as mobilizações organizadas pelo Sindicato”, ressalta Larissa Cunha, dirigente do Sindicato dos Bancários de Santos e Região.

 

Leia sobre os ataques recentes:

Reestruturação e Precarização do Trabalho – Com o enxugamento das áreas-meio e transferência para agências, as demandas vão ser redistribuídas entre os empregados que permanecerem.

Novos Modelos de Trabalho – Empregados poderão trabalhar em unidades da Caixa diferentes de sua lotação administrativa, através de agendamento de estação de trabalho ou, ainda, trabalhar fora do ambiente Caixa, em casa por exemplo (home office). Todos os eventuais custos adicionais decorrentes da prestação de serviços nestas modalidades como, por exemplo, despesas de deslocamento, correrão por conta do empregado.

Trabalho remoto – A adesão ao trabalho remoto tira o trabalhador da estrutura física da empresa e transfere ao empregado a responsabilidade pelas condições de trabalho. A caracterização de acidentes de trabalho fica prejudicada e a responsabilidade pela prevenção de doenças ocupacionais, que deve ser da empresa, é transferida ao trabalhador. Os custos de estrutura também são repassados ao trabalhador, sem previsão de qualquer reembolso, conforme determina a norma no item 3.2.1.2. A jornada de trabalho também deixa de existir, já que o empregado passa a ser obrigado a cumprir o Acordo de Demanda com a chefia.

O governo federal e o Congresso retiraram direitos com a Reforma Trabalhista, diminuíram o valor e dificultam a aposentadoria com a Reforma da Previdência e agora pretende enxugar o quadro de empregados da Caixa, para sucatear e privatizar a única instituição bancária totalmente pública do país.

 

Fonte: Bancários de Santos

Comentários

Veja Mais!

A cada hora quatro meninas com menos de 13 anos são estupradas no Brasil

O adolescente Marcus Vinícius da Silva, de 14 anos, e sete pessoas mais morreram por …