Home / Caixa Econômica / Governo Bolsonaro amplia o fatiamento da Caixa

Governo Bolsonaro amplia o fatiamento da Caixa

O projeto do governo de desmembramento e privatizações das estatais segue a todo vapor. Na última semana, foi anunciado que o governo Bolsonaro pretende abrir o capital, ainda no primeiro semestre de 2020, da Caixa Seguridade. No ano passado, foram vendidos cerca de R$ 15 bilhões em ativos da Caixa Econômica Federal.

Segundo a imprensa especializada, o governo está fechando a contratação do banco de investimento dos Estados Unidos Morgan Stanley para dar início ao processo de privatização. O banco norte-americano deve liderar um grupo de bancos que coordenarão o IPO, são eles: Bradesco BBI, Itaú BBA, Banco Plural, Banco BTG Pactual, Banco do Brasil, Credit Suisse, Santander Brasil, Bank of America e Caixa Econômica Federal.

A expectativa do valor de venda das ações é entre R$ 50 bilhões e R$ 60 bilhões. “Para 2020, o objetivo do presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, é capitanear a bilionária abertura de capital da Caixa Seguridade, haja vista a quantidade de bancos privados que já manifestaram interesse, devido a sua alta lucratividade. Devemos lutar contra a privatização da Caixa para que ela continue com o seu papel social de execução de políticas públicas em favor dos brasileiros, sobretudo dos mais necessitados. Funcionários e sociedade devem se unir e lutar pela Caixa 100% pública”, afirma Sarah Sodré, diretora de Assuntos Jurídicos.

Comentários

Veja Mais!

INSS: população é obrigada a esperar meses por aposentadoria e benefícios

Apesar do prazo de 45 dias para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) responder …