Home / Economia / Energia sobe mais uma vez e contas de luz ficam mais caras a partir de hoje

Energia sobe mais uma vez e contas de luz ficam mais caras a partir de hoje

Com nova bandeira criada pelo governo, cada 100 quilowatt-hora custará R$ 14,20

A partir desta quarta-feira (1º), o custo da energia subirá 6,78%. Com isso, cada 100 kWh (quilowatt-hora) custará R$ 14,20 nas contas de luz.

A proposta dos técnicos era criar a bandeira vermelha nível 2 que previa um aumento de cerca de 50% no custo da energia, aumentando de R$ 9,49 para cerca de R$ 14 para cada 100 kWh consumidos.

O presidente  Jair Bolsonaro (ex-PSL) tentou adiar o anúncio do reajuste para depois dos atos golpistas que está chamando para o dia 7 de setembro para evitar desgaste em sua popularidade que está despencando.

Depois, chegaram ao reajuste anunciado nesta terça-feira (31) pela  Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Para atender os anseios de Bolsonaro foi criada uma nova bandeira tarifária, que vale até abril de 2022. O alto custo pode evitar racionamentos e apagões, mas a justificativa da Aneel é a de que o novo reajuste é para fazer frente ao aumento dos custos decorrente do agravamento da crise hídrica.

O aumento não atinge a população de baixa renda beneficiados pela tarifa social. A população de Roraima também não será afetada. No estado continua vigorando a bandeira 2 vermelha, com o valor de R$ 9,49 a cada 100 kWh.

O novo valor, diz o governo, se deve aos custos de importação de energia e acionamento de usinas termelétricas, que já produzem a mais de R$ 2.000 o MWh (megawatt-hora). No período de setembro a novembro, o total desses custos será de R$ 13,2 bilhões, valores que precisam ser repassados para a tarifa.

Impacto na inflação

Os reajustes de energia vêm impactando fortemente os índices de inflação. Desde o início do ano, as tarifas de energia dos consumidores residenciais subiram, em média, 7,15%, e cálculos preliminares da Aneel apontam que as tarifas podem subir, em média, 16,68% em 2022, em plena disputa eleitora.

E a nova bandeira, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV) causará um impacto na inflação de 0,31 ponto percentual. Isso eleva a projeção do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro de 0,6% para 0,9%.

Fonte: CUT

Veja Mais!

Emprego informal dobra e ‘ioiô’ na renda empobrece brasileiro

Projeto no Senado prevê seguro contra perdas e especialistas defendem cadastrar vulneráveis O ritmo na …