Home / Bancos / População conquistense espera por horas para o atendimento bancário

População conquistense espera por horas para o atendimento bancário

Assista a entrevista e saiba mais sobre a notificação do Procon sobre essa situação

As longas filas nas portas dos bancos estão se tornando parte da paisagem urbana. Mesmo antes da pandemia, os dias de pagamento de benefícios e auxílios já aglomeravam pessoas na espera pelo atendimento bancário.

Com a pandemia essa situação se agravou ainda mais por alguns fatores, o aumento da demanda do serviço bancário – com o pagamento do auxílio emergencial -, a redução do quadro de funcionários trabalhando de forma presencial nas agências, a continuidade da política de demissão dos bancos mesmo durante esse momento caótico e o fechamento de agências.

Esse é um combo que não tem como dar certo, clientes e bancários estão vivendo uma situação de descaso por parte dos donos dos bancos. É importante destacar, que os bancos quebraram o compromisso assumido de que não realizaram demissões durante a pandemia.

Só no período de março de 2020 a fevereiro de 2021, os bancos extinguiram mais de 13 mil empregos. Além disso, os bancos privados também fecharam ao menos 1.647 agências desde março de 2020. Enquanto isso, no segundo trimestre deste ano os bancos obtiveram um dos maiores saltos da história recente do setor: 63,6% de crescimento nos lucros em comparação com o mesmo período do ano anterior.

Para denunciar a ganância dos banqueiros, que insistem em ampliar os lucros enquanto a população passa horas na fila embaixo de sol e chuva e os bancários adoecem cada vez mais com as cobranças de metas abusivas, o Sindicato dos Bancários de Vitória da Conquista e Região tem realizado manifestações para dialogar com a população e cobrar dos órgãos responsáveis uma devida fiscalização. Exemplo disso, foram as mobilizações promovidas quando o Bradesco anunciou o fechamento de duas agências na cidade.

Após reclamações, o Procon de Vitória da Conquista esteve nas agências da cidade para verificar a situação que os clientes estão passando. Em entrevista, o procurador do município e coordenador do Procon, Washington Luís de Oliveira Barros, aponta que no dia da fiscalização precisaram intervir para retirar pessoas das ruas para serem colocadas dentro das agências. Também foi informado que os bancos foram notificados e agora está no período onde eles podem apresentar uma defesa, após isso o processo pode ocasionar em multa e até mesmo suspensão do serviço.

Confira a entrevista e saiba mais sobre o que pode ser feito em situações como essas.

Veja Mais!

SEEB/VCR obtém mais um cancelamento de demissão no Bradesco

No mês de julho o Bradesco realizou mais uma demissão irregular. A prática de tentar …